Este fórum
serve para registrar informalmente trechos de mensagens recebidas via e-mail (vieira.sor@terra.com.br)
pelo
historiador,
genealogista e sociolingüísta Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho, autor
destes livros:


 


I - Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus
Arredores
, ISBN 85-89017-01-X, 2000, Secretaria da Educação e Cultura de
Sorocaba


II - Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus
Arredores
, ISBN: 85-904104-2-0, 2009


 


III - Guareí,
ISBN 85-904104-1-2, 2004,
Prefeitura Municipal e Câmara Municipal de Guareí


 


IV - Itapetininga,
ISBN 85-904104-3-9, 2006


 


V - Notas e Documentos Complementares,
ISBN 978-85-904104-4-7, 2015



 


Observação: O autor escreveu também a monografia "Uma contribuição para o estudo das famílias Mascarenhas, Araújo, Toledo, Martins, Graça, Camelo, Cruz e Queiroz",
2013


 


O autor agradece as mensagens que são respondidas via
e-mail.


 


O
autor tem dois sites diferentes com estes endereços:


 


http://www.cafundo.site.br.com


 


http://inforum.insite.com.br/8400/



01/08/2003 01:36
De: Sílvio Vieira de Andrade Filho (vieira.sor@terra.com.br)
IP: 200.177.144.152

Divulgação de livro não comercial e sites

Remetente: Sílvio Vieira de Andrade Filho

Prezados amigos

Através deste email, estou divulgando os sites atualizados sobre o meu livro "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" (Secretaria da Educação e Cultura de Sorocaba, 2000) e minhas atividades. O livro contém estudos lingüísticos, históricos, genealógicos e folclóricos da região focalizada.
Ficaria muito honrado com a sua visita.
Os endereços eletrônicos dos dois sites são:
http://www.cupopia.hpg.com.br
http://paginas.terra.com.br/educacao/cafundo
http://www.cafundo.jex.com.br
http://www.jornalexpress.com.br/cafundo

Se possível, gostaria de receber uma resposta.

Abraços

Sílvio Vieira de Andrade Filho
Sorocaba - SP - Brasil
Email: vieira.sor@terra.com.br
22/01/2004 03:06
De: Sílvio Vieira de Andrade Filho (vieira.sor@terra.com.br)
IP: 200.177.58.192-

Re: Queremos um livro!

Prezado Paulo e Aluísio
Obrigado pelo interesse em nosso trabalho.
Além dos locais indicados nos sites que estão na divulgação logo abaixo, vocês poderão solicitar outras informações sobre como obter o livro através deste email:
vieira.sor@terra.com.br
Atenciosamente,
Sílvio Vieira de Andrade Filho
18/08/2006 19:04
De: L.V.B.P.
IP: 201.27.209.22

Livro Guareí

Prezado Sr. Sílvio
Obrigada por responder-me prontamente.
Meus pais nasceram em Guareí. Segue-se uma lista genealógica.
Trabalho como professora na Universidade do Estado do Amazonas na área de Artes e, atualmente, desenvolvo meu doutorado em relações artísticas luso-brasileiras na Universidade do Porto.
Gosto muito de história e memória. Tenho muito gosto em saber mais coisa sobre o passado e as origens familiares.
Pretendo ir a Tatuí no próximo ano e então procurarei o livro em Guareí.
Manaus, 05.10.2004.
L.V.B.P.
18/08/2006 18:57
De: L.V.B.P.
IP: 201.27.209.22

Livro Guareí

Prezado Sílvio Vieira de Andrade Filho
Gostaria primeiramente de parabenizá-lo pela publicação do livro "Guareí". Gostaria de saber a maneira de adquirí-lo. Manaus, 02.10.2004.
L.V.B.P.
10/09/2005 15:38
De: B. L. H. R.
IP: 200.177.17.12-

Livros

Prezado Sílvio
Foi com imensa honra que recebi sua resposta. Seus livros são legados extraordinários da História de nossa região. Assim, muitos pesquisadores, professores, estudantes e interessados no assunto podem ter acesso a esse valioso material.
Eu li o livro "Um estudo...." e achei fantástico. Você fez uma pesquisa minuciosa de uma época, resgatou uma cultura além de colocar importantes dados históricos e genalógicos. Parabéns!
Atenciosamente,
B. L. H. R.
18/03/2006 16:27
De: Marcelo Cid
IP: 201.43.91.81-

"Cupópia"

Olá, Sílvio, como está?
Achei o tema de fato muito interessante. Gosto desses assuntos lingüísticos! Os giros da cupópia me lembraram também uma passagem do "Ramo de Ouro", de Frazer, sobre a "superstição" de certa tribo africana: quando os homens saem para a guerra, as mulheres ficam proibidas de dizer os nomes de seus maridos, ou mesmo qualquer palavra que tenha uma sílaba desses nomes - daí que nasceu um novo idioma, feito de giros, falado apenas pelas mulheres nessa condição.
Sou diplomata, estou em Montevidéu, mas li seu artigo em Brasília, no Centro de Documentação do Ministério das Relações Exteriores, que eu chefiava e onde recebi um exemplar da revista da universidade.
Um abraço,
Marcelo Cid
Seu IP: 54.224.56.126 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)