TROCA,VENDA DE MAQUINAS NOVAS E USADAS NA FABRICAÇÃO DE PAPEL E PAPELÃO E TELHAS ECOLOGICAS

Tags: de maquinas ecologica telha
19/06/2010 14:50
De: eder (edermarchiori@hotmail.com)
IP: 200.215.87.248

Fabrica

gostaria de saber informaçoes sobre o processo de fabricaçao das telhas ecologicas ,e q equipamentos seria necessario comprar,e os fabricantes dos mesmos desde ja agradeço
20/12/2009 11:36
De: Antonio Donizeti
IP: 189.29.97.80

Re: Maquinas

Preciso receber + informações sobre equipamentos para fabricação à priori de forminhas para docinhos de festas, ilustrações, garantia , preços com forma de pagamento etc... No aguardo Obrigado.
02/04/2010 22:41
De: DOMÊNICO ADMINISTRADOR
IP: 189.48.234.174

Reciclagem

O CONCEITO DE LIXO:
Lixo é todo e qualquer resíduo proveniente das atividades humanas ou gerado pela natureza em aglomerações urbanas. Comumente, é definido como aquilo que ninguém quer. Porém, precisamos reciclar este conceito, deixando de enxergá-lo como uma coisa suja e inútil em sua totalidade. Grande parte dos materiais que vão para o lixo pode (e deveria) ser reciclada.
Tipos de lixo:
· Lixo Domiciliar/Urbano:
É constituído pelo lixo de nossas casas, bares, lanchonetes, restaurantes, repartições públicas, lojas, supermercados, feiras e do comércio. Compõem-se principalmente de: sobras de alimentos, embalagens, papéis, papelões, plásticos, vidros, trapos, etc. Esse lixo normalmente é encaminhando para Aterros Sanitários.
· Lixo Industrial:
É o lixo produzido pelas indústrias, que possui características peculiares dependendo das matérias-primas utilizadas. Pode ser perigoso, até mesmo tóxico, e, por isto, a menos que passe por processos de tratamento específicos, não pode ter sua disposição final no mesmo local do lixo domiciliar.
· Lixo Hospitalar:
Pelas múltiplas possibilidades que apresenta de transmitir doenças de hospitais, deve ser transportado em veículos especiais. Assim como o lixo industrial, a menos que passe por processos de tratamento específico, deve ser disposto em local apropriado ou ir para os incineradores.
· Lixo Agrícola:
Esterco, fertilizantes.
· Lixo Tecnológico:
TVs, rádios, aparelhos eletrônicos em geral.
Números do lixo no Brasil:
A quantidade de lixo produzida semanalmente por um ser humano é de aproximadamente 5 Kg. Se somarmos toda a produção mundial, os números são assustadores.
Só o Brasil produz 240 mil toneladas de lixo por dia. O aumento excessivo da quantidade de lixo se deve ao aumento do poder aquisitivo e ao perfil de consumo de uma população. Além disso, quanto mais produtos industrializados existir, mais lixo é produzido, como embalagens, garrafas, etc.
Em torno de 88% do lixo doméstico brasileiro vai para o aterro sanitário. A fermentação gera dois produtos: o chorume e o gás metano.
Apenas 2% do lixo de todo o Brasil é reciclado! Isso acontece porque reciclar é 15 vezes mais caro do que simplesmente jogar o lixo em aterros. A título de comparação, o percentual de lixo urbano reciclado na Europa e nos EUA é de 40%.
O QUE É RECICLAGEM?
Reciclagem é o retorno da matéria-prima ao ciclo de produção do qual foi descartado. O termo, porém, já vem sendo usado popularmente para designar o conjunto de técnicas envolvidas nesse processo: a coleta dos materiais que se tornariam lixo (ou que já estão no lixo), a separação desses materiais e o seu processamento.
O vocábulo surgiu na década de 1970, quando as preocupações ambientais passaram a ser tratadas com maior rigor, especialmente após o primeiro choque do petróleo, quando reciclar ganhou importância estratégica. As indústrias recicladoras são também chamadas secundárias, por processarem matéria-prima de recuperação. Na maior parte dos processos, o produto reciclado é completamente diferente do produto inicial.
POR QUE RECICLAR?
A reciclagem de materiais é muito importante, tanto para diminuir o acúmulo de dejetos, quanto para poupar a natureza da extração inesgotável de recursos. Além disso, reciclar causa menos poluição ao ar, à água e ao solo.
A produção de lixo vem aumentando assustadoramente em todo o planeta. Visando uma melhoria da qualidade de vida atual e para que haja condições ambientais favoráveis à vida das futuras gerações, faz-se necessário o desenvolvimento de uma consciência ambientalista.
O consumidor pode auxiliar no processo de reciclagem das empresas. Se separarmos todo o lixo produzido em residências, impedimos que a sucata se misture aos restos de alimentos, o que facilita seu reaproveitamento pelas indústrias. Dessa forma, evitamos também a poluição.
Nos países desenvolvidos como França e Alemanha, a iniciativa privada é encarregada do lixo. Fabricantes de embalagens são considerados responsáveis pelo destino dos detritos e o consumidor também tem que fazer a sua parte. Quando uma pessoa vai comprar uma pilha nova, por exemplo, é preciso entregar a pilha usada.
Vantagens da reciclagem:
Cada 50 quilos de papel usado transformado em papel novo evita que uma árvore seja cortada. Pense na quantidade de papel que você já jogou fora até hoje e imagine quantas árvores você poderia ter ajudado a preservar.
Cada 50 quilos de alumínio usado e reciclado evita que sejam extraídos do solo cerca de 5.000 quilos de minério, a bauxita. Quantas latinhas de refrigerante você já jogou fora até hoje? Saiba também que uma lata de alumínio leva de 80 a 100 anos para decompor-se.
Com um quilo de vidro quebrado faz-se exatamente um quilo de vidro novo. E a grande vantagem do vidro é que ele pode ser reciclado infinitas vezes. Em compensação, quando não é reciclado, o vidro pode demorar 1 milhão de anos para decompor-se.
A reciclagem favorece a limpeza da cidade, pois o morador que adquire o hábito de separar o lixo dificilmente o joga nas vias públicas.
A reciclagem gera renda pela comercialização do material a ser reciclado.
A reciclagem dá oportunidade aos cidadãos de preservarem a natureza de uma forma concreta. Assim, as pessoas se sentem mais responsáveis pelo lixo que geram.
COMO RECICLAR
Veja como fazer a coleta seletiva e dar a sua parcela de contribuição na preservação do meio ambiente. (veja o que é coleta seletiva no item seguinte).
Passo a passo:
1. Procure o programa organizado de coleta de seu município ou uma instituição, entidade assistencial ou catador que colete o material separadamente. Veja primeiro o que a instituição recebe, afinal, não adianta separar plástico se a entidade só recebe papel.
2. Para uma coleta ideal, separe os resíduos em não-recicláveis e recicláveis. Entre os recicláveis, separe papel, metal, vidro e plástico.
3. Veja exemplos de materiais recicláveis:
- Papel: jornais, revistas, formulários contínuos, folhas de escritório, caixas, papelão, etc.
- Vidros: garrafas, copos, recipientes.
- Metal: latas de aço e de alumínio, clipes, grampos de papel e de cabelo, papel alumínio.
- Plástico: garrafas de refrigerantes e água, copos, canos, embalagens de material de limpeza e de alimentos, sacos.
4. Escolha um local adequado para guardar os recipientes com os materiais recicláveis até a hora da coleta. Antes de guardá-los, limpe-os para retirar os resíduos e deixe-os secar naturalmente. Para facilitar o armazenamento, você pode diminuir o volume das embalagens de plástico e alumínios amassando-as. As caixas devem ser guardadas desmontadas.
Atenção:
Os objetos reciclados não serão transformados nos mesmos produtos. Por exemplo: garrafas recicláveis não serão transformadas em outras garrafas, mas em outros materiais, como solados de sapato.
O QUE É COLETA SELETIVA?
É um sistema de recolhimento de materiais recicláveis, tais como papéis, plásticos, vidros, metais e orgânicos, previamente separados na fonte geradora. Estes materiais são vendidos às indústrias recicladoras ou aos sucateiros.
As quatro principais modalidades de coleta seletiva são: domiciliar, em postos de entrega voluntária, em postos de troca e por catadores.
A coleta seletiva domiciliar assemelha-se ao procedimento clássico de coleta normal de lixo. Porém, os veículos coletores percorrem as residências em dias e horários específicos que não coincidam com a coleta normal.
A coleta em PEV (Postos de Entrega Voluntária) ou em LEV (Locais de Entrega Voluntária) utiliza normalmente contêineres ou pequenos depósitos, colocados em pontos fixos, onde o cidadão, espontaneamente, deposita os recicláveis.
A modalidade de coleta seletiva em postos de troca se baseia na troca do material entregue por algum bem ou benefício.
O sucesso da coleta seletiva está diretamente associado aos investimentos feitos para sensibilização e conscientização da população. Normalmente, quanto maior a participação voluntária em programas de coleta seletiva, menor é seu custo de administração. Não se pode esquecer também a existência do mercado para os recicláveis.
Simbologias e cores na reciclagem
As cores dos contêineres apropriados para a coleta seletiva de lixo:
· Azul: papel e papelão
· Amarelo: metais
· Vermelho: plásticos
· Verde: vidros
· Preta: madeiras
Até hoje não se sabe onde e com que critério foi criado o padrão de cores dos contêineres utilizados para a coleta seletiva voluntária em todo o mundo. No entanto, alguns países já reconhecem esse padrão como um parâmetro oficial a ser seguido por qualquer modelo de gestão de programas de coleta seletiva.
Saiba o que pode e o que não pode ser reciclado
Existem diversos tipos de materiais que podem ser reciclados. No entanto, é preciso tomar cuidado porque, em muitos casos, esses materiais apresentam derivações que não são recicláveis. Por exemplo: o papel, em geral, pode ser reciclado. Mas aquele papel de etiquetas e de fotografias não pode ser reaproveitado.
Exemplos:
Papel reciclável:
jornais e revistas
folhas de caderno
formulários de computador
caixas em geral
aparas de papel
Fotocópias
Envelopes
Provas
rascunhos
cartazes velhos
papel de fax
Papel não reciclável:
etiqueta adesiva
papel carbono
fita crepe
papéis sanitários
papéis metalizados
papéis parafinados
papéis plastificados
papéis sujos
guardanapos
pontas de cigarro
fotografias
Metal reciclável:
lata de folha de flandres (lata de óleo, de salsicha, leite em pó etc)
lata de alumínio
sucatas de reformas
Metal não reciclável:
esponjas de aço
canos
Vidros recicláveis:
embalagens
garrafas de vários formatos
Copos
Vidros não recicláveis:
espelhos
vidros planos
lâmpadas
cerâmica
porcelana
tubos de TV - gesso
Plástico reciclável:
embalagem de refrigerante
embalagem de material de limpeza
copinho de café
embalagem de margarina
canos e tubos
sacos plásticos em geral
Plástico não reciclável:
cabo de panela
tomadas
embalagem de biscoito
misturas de papel, plásticos e metais
SAIBA COMO FAZER PAPEL RECICLADO:
Material necessário:
· papel e água
· bacias: rasa e funda
· balde
· moldura de madeira com tela de nylon ou peneira reta
· moldura de madeira vazada (sem tela)
· liquidificador
. jornal ou feltro
· pano (ex.: morim)
· esponjas ou trapos
· varal e pregadores
· prensa ou duas tábuas de madeira
· peneira côncava (com "barriga")
· mesa
Passo a passo
Passo 1: Preparando a polpa:
Pique o papel e deixe de molho durante um dia ou uma noite na bacia rasa, para amolecer. Coloque água e papel no liquidificador, na proporção de três partes de água para uma de papel. Bata por dez segundos e desligue. Espere um minuto e bata novamente por mais dez segundos. A polpa está pronta.
Passo 2: Fazendo o papel:
a) Despeje a polpa numa bacia grande, maior que a moldura.
b) Coloque a moldura vazada sobre a moldura com tela. Mergulhe a moldura verticalmente e deite-a no fundo da bacia.
c) Suspenda as molduras ainda na posição horizontal, bem devagar, de modo que a polpa fique depositada na tela. Espere o excesso de água escorrer para dentro da bacia e retire cuidadosamente a moldura vazada.
d) Vire a moldura com a polpa para baixo, sobre um jornal ou pano.
e) Tire o excesso de água com uma esponja.
f) Levante a moldura, deixando a folha de papel artesanal ainda úmida sobre o jornal ou morim.
Passo 3: Prensando as folhas
Para que suas folhas de papel artesanal sequem mais rápido e o entrelaçamento das fibras seja mais firme, faça pilhas com o jornal da seguinte forma:
a) Empilhe três folhas do jornal com papel artesanal. Intercale com seis folhas de jornal ou um pedaço de feltro e coloque mais três folhas do jornal com papel. Continue até formar uma pilha de 12 folhas de papel artesanal.
b) Coloque a pilha de folhas na prensa por 15 minutos. Se não tiver prensa, ponha a pilha de folhas no chão e pressione com um pedaço de madeira.
c) Pendure as folhas de jornal com o papel artesanal no varal até que sequem completamente. Retire cada folha de papel do jornal ou morim e faça uma pilha com elas. Coloque esta pilha na prensa por 8 horas ou dentro de um livro pesado por uma semana.
Passo 4: efeitos decorativos
a) Misture à polpa: linha, gaze, fio de lã, casca de cebola ou casca de alho, chá em saquinho, pétalas de flores e outras fibras.
b) Bata no liquidificador junto com o papel picado: papel de presente, casca de cebola ou de alho.
c) Coloque sobre a folha ainda molhada: barbante, pedaços de cartolina, pano de tricô ou crochê. Neste caso, a secagem será natural - não é necessário pressionar com o pedaço de madeira.
d) Para ter papel colorido: bata papel crepom com água no liquidificador e junte essa mistura à polpa. Outra opção é adicionar guache ou anilina diretamente à polpa.
Dicas importantes:
- A tela de nylon deve ficar bem esticada, presa à moldura por tachinhas ou grampos.
- Reutilize a água que ficar na bacia para bater mais papel no liquidificador
- Conserve a polpa que sobrar: peneire e esprema com um pano.
- Guarde, ainda molhada (em pote plástico no congelador) ou seca (em saco de algodão).
- A polpa deve ser ainda conservada em temperatura ambiente.
14/10/2013 13:14
De: sergio c ribeiro (leme.representacao@gmail.com)
IP: 179.166.46.196

Re: Telha Ecológica de Papel

bom dia! tenho interesse em saber sobre as telhas de papelao,atuo no mercado de construçao intermediando grandes negocios no interior de sao paulo e norte do pais macapa e belem preciso de informaçoes sobre produtos e logistica para operar pois aqui em macapa o mercado esta carente de telhas que substituam as de amianto. grato Sergio Ribeiro.
16/01/2010 22:13
De: administrador
IP: 201.5.207.30

Cursos

Em 2009 o Setor Reciclagem superou os 5 milhões de acessos. Esses números representam a busca cada vez maior por informação e serviços de um setor tão abrangente, curioso e lucrativo como o da reciclagem.
Mas o acesso cada vez maior ao Setor Reciclagem também significa o recohecimento ao trabalho sério, independente e comprometido que foi iniciado em 2001 e que segue firme no propósito de prestar um serviço relevante na disseminação da cultura da reciclagem e na prestação de serviços, como os classificados gratuitos para os segmentos industrial e artesanal.
Veja abaixo as últimas publicações e continue prestigiando nosso trabalho com sua honrada visita.
Ricardo Ricchini - editor do site:
http://setorreciclagem.com.br
Proprietário da Criatura comunicação digital
http://criatura.com.br
Inscreva-se já nos cursos de reciclagem de plásticos em São Paulo e Rio de Janeiro.
http://helptreinamentos.com.br/cursos.php
Anuncie no Setor Reciclagem:
www.setorreciclagem.com.br/anuncie
Monte uma fábrica de vassouras PET
www.vassourapet.com.br
Faça uma busca no site:
http://setorreciclagem.com.br/mapa
 
Veja as últimas matérias:
http://setorreciclagem.com.br/noticias
- Guia verde influencia indústria de eletrônicos
- Celular movido a Coca-Cola
- Bolsa de PET
- Reciclagem de isopor é possível
- Aposta na reciclagem como diferencial de design
- Biodiesel é bom negócio
- Categoria ainda não se recuperou da crise
- Puff feito com pneus
- Vaso sanitário feito de garrafas PET recicladas
- Prêmio para banhistas no litoral de SP
- Cooperativa vende óleo de cozinha usado para a Petrobrás
- Reciclagem de sabonete
Acompanhe as novidades do Setor Reciclagem no Twitter:
http://twitter.com/ricchini
25/04/2009 12:04
De: Bruno Hein Schaarschmidt (bheinpaper@yahoo.com.br)
IP: 200.203.17.244

Re: Saogoncalo.olx.com.br/maquinas-de-papelao-cinza-capa-dura-iid-8736101

Olá amigos da São Gonçalo,
gostaria de saber se o maquinário para fabricar papelão cinza ainda está disponível. E/ou se vendem as formas/folhadeiras separadamente e se possue hidrapulper?
                                          Desde já agradeço.
                                                                         Bruno
                                                                                     Guaíba RS
29/08/2012 14:04
De: Luiz Gonzaga
IP: 187.5.127.123

Consulta tecnica

Boa tarde gostaria que me informasem prazo de entrega, valores e condições de pagamento de cada maquina que se aplica a produção de telhas vibro asfáltica.
aguardo retorno.
Cordialmente
Luiz Gonzaga
Brasília DF.
17/10/2009 04:09
De: Denivaldo C. Pacheco (pacheco_bomvivan@hotmail.com)
IP: 189.93.128.108

Compra de maquinario para fabricação de telha ecologica a partir de papel/papelão reciclado

este e-mail, segue a quem possa interessar e dispor deste empreendimeno para venda, podendo ser equipamento usado em perfeito estado de uso. estou situado no distrito industrial de Maceió capital do Estado de Alagoas se possivel entrem em contato comigo tambem pelo fon 82.9962.9307.Maceió-AL, 17 de outubro de 2009
Seu IP: 54.159.94.253 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)