Fórum criado para debate do texto: Eu e o Outro: Parceiros Essenciais (Margarida Serrão). Público Alvo: Acadêmicos do Curso de Licenciatura Plena Parcelada - UEG / Uruaçu-GO Professora: Márcia Mendes Parceria: Multiplicadora: Simone Gomes Disciplina: Tecnologias na Educação

Tags: letras curso
14/07/2006 18:15
De: Tanilza e Cida Paixão
IP: 200.140.127.166

Resposta da Avaliação

1 - Educar é uma arte, não possui forma e completa uma difícil missão: a de contribuirmos como formadores éticos das novas gerações na troca de experiência e reflexão de novas descobertas e experiências independentemente de modelos ou formas.
2 - Toda criança necessita de limites ao seu querer onipotente para adquirir "um rosto humano". Esses limites geram frustações que ela aprende a suportar e é esta aprendizagem que lhe permitirá conviver produtivamente com seus pares, inventando saídas criativas para as suas faltas.
3 - Sim. Na capacidade para proteger a própria integridade ameaçada e a capacidade para construiruma saída vital positiva, apesar das circustâncias difíceis.  E em minha vida, sim. Pois é entre nós que as coisas. Admitir-se imperfeito e imortal, reconhecer-se incompleto e faltante, mas ainda assim capaz de exercer-se criativamente, produzindo marcas diferenciais no entorno, fazendo a diferença no âmbito pessoal e coletivo. Desejo e força.  
14/07/2006 17:51
De: Janaina Nepomuceno Carneiro Souza e Gasparina Aparecida Lourenço
IP: 200.140.127.166

Resposta às perguntas sobre o texto: O eu e o outro

1- Em tempos de tanta liberdade e tantas informações, a arte de educar não pode mais se ater ao "soberano conhecimento do professor", temos que ver nas crianças, adolescentes e jovens em geral, indivíduos que trazem consigo uma leitura íntima de vida que, muitas vezes é uma leitura até mais ampla que a de muitos adultos. Nessa perspectiva, educar atualmente é sber respeitar opiniões, ouvir, trocar experiências, aproveitar o conhecimento prévio que cada um trás dentro de si.
2- A leitura de Leminski além de ser uma fonte de cultura, trouxe uma grande contribuição para a nossa prática pedagógica, pois nos remete a uma visão de que as rupturas são necessárias para o desenvolvimento saudável do indivíduo. Muitas vezes, os pais, os professores e até mesmo o seio religioso, na ânsia de contribuir com a formação plena do ser, acabam por confundir educação com proteção e isso acarreta em prejuizo para o cidadão em formação. Dentro dessa visão, pudemos perceber que educar é mais que apenas suprir necessidades, é respeitar o indivíduo em suas potencialidades.
3- Claro que sim. Não é tarefa fácil, mas com boa vontade e uma pitada de carinho, todo educador pode praticar a resiliência. Dispensar afeto a uma criança ou um adolescente que atende aos chamados "padrões normais da sociedade" não é nenhuma arte, mas contribuir para a formação plena de um indivíduo enquadrado como "atípico" é a verdadeira missão de todo educador, o que é preciso? Apenas boa vontade e amor. Creio que na vida também devemos ter a mesma atitude e assim, a arte da resiliência não será nenhuma tarefa impossível.
14/07/2006 18:43
De: Maria Delodina Ferreira Alves e Sandra Mara Alves Nunes
IP: 200.140.127.166

Análise do texto: Eu eo outro: parceiros essenciais

1-Posicionando em relação à sociedade em que estamos inseridos pode-se notar que o ter e  o ser andam em verdadeiro confronto.  A sociedade capitalista na qual vivemos nos influencia cada vez mais a seguir esse rumo. Como educadores que somos e conscientes disto incentivar nossas crianças e jovens a ter um objetivo e traçar um projeto de vida calcado nessa reflexão e conscientização é de extrema necessidade.
2- Essa leitura influencia minha prática pedagógica referente ao reconhecimento dos limites, a estruturação da personalidade e a inserção do aluno no coletivo, no social. Gera regras, direitos e deveres que obrigatoriamente terão que ser absorvidos pelos alunos.
3-Sim. A valorização do aluno como ser, como gente, capaz de conduzir sua própria vida, saber que agindo certo ou errado provocará consequências é uma forma de resiliência. "Admitir-se imperfeito e mortal, reconhecer-se incompleto e faltante".Despertar nossos alunos para o seu potencial como pessoa transformadora dessa sociedade em que ele vive é também uma outra forma de resiliência.
Criar em nós professores a resistência frente às situações contradiotórias ao exercício de nosso sacerdócio. Ter sempre em mente nosso objetivo e espaço bem demarcado. Buscar conhecimento que encerra nosso desejo e nossa força perante as adversidades.
14/07/2006 18:18
De: Neli Selma Faria/ Wanderly Maria de Paulo/
IP: 200.140.127.166

Análise de texto - Eu e o outro. Respostas as questões propostas.


Resposta 1 -
         Levando em consideração o texto da autora, bem como os dias de hoje. A educação dos nosso filhos e alunos deverá acontecer através do diálago e imposição de limites, mas postos em novas bases, as bases da troca e da escuta, para que o indivíduo se sinta reconhecido como semelhante. O vínculo afetivo, o respeito mútuo e a confiança no processo de crescimento individual e coletivo é imprescindível na formação do ser humano. Precisamos repensar a nossa postura enquanto formadores de seres humanos.
 Resposta 2 -
    Contribui na percepção de que todo ser em formação necessita e pede limites na sua aprendizagem e processo de formação. Mais importante é que estes limites podem gerar, e geram, frustrações que levam o ser a aprender suportar barreiras sociais, porém esta aprendizagem lhe permitirá futuramente a encontrar saídas  para suas falhas e acima de tudo conviver de forma produtiva com os outros. Proporcionar aos alunos confiança no processo de crescimento e transformação, a crença no seu pontecial e que estes podem desenvolver, uma história possível de compartilhar experiências.
  Resposta 3 -
     
      Sim, é possível passar ao aluno referenciais que irão contribuir na formação integral de seus valores e novos valores serão agregados a eles socialmente e que diante de uma situação adversa devemos refletir nossa ação, o que vale para o aluno quanto para o professor enquanto agente desta atividade de ressignificação.
14/07/2006 12:40
De: Maria das Graças Fernandes (maria_gnandes@yahoo.com.br)
IP: 200.140.127.166

Avaliação

Resposta  questão nº 1
Aeducação nos tempos atuais tem facilitado o trabalho do professor e a aprendizagem do aluno , pois temos vários materiais pedagogicos que nos auxiliam em nossa missão de educador. Mas temos que preparar , pois encontramos dificuldade pra manusear os recursos tecnológicos que nos são oferecidos.
RESPOSTA 2
A citacão de  Lemisnski veio mostrar que devemos repensaar nosso papel de mãe e educadora , pois a criança vai aos poucos   descobrindo seu valor diante da sociedade e do mundo que o cerca ampiando seus horizontes e enriquecendo seus conhecimentos .Mas muitas vezes deixamos a desejar em nosso papel de mãe e educadora, pois somos pessoas sobrecarrecadas de trabalhos e não encontramos tempo para dialogar com nossos filhos e quando percebemos eles já são homens .E o quanto deveria ter sido diferente nossa vida deante das pessoas que amamos RESPOSTA 3
Sim, podemos e devemos mudar cada dia  em relação ao nossos alunos  e também diante de nossa vida profissional buscando inovações em relação a prática pedagógica proporcionando em nossos alunos aulas devercificadas  e dinamizada para melhoria do ensino aprendizagem.
14/07/2006 18:33
De: Noeme Rosa de Oliveira Fernandes e Gilvneide Santos Evangelista Esbalt
IP: 200.140.127.166

Análise do Texto: Eu e o Outro (... Serrão)

Respostas:
1 - Educar nos dias atuais não é uma arte muito fácil de praticar. Pois nosso filhos e alunos recebem uma mega carga de variadas informações, que acabam por interferir em sua formação.
Portanto fazendo uso de experiências vivenciadas e compartilhadas torna-se impertinente interferirmos na recepção destas informações, filtrando-as, selecionando-as e argumentando-as de maneira crítica tornando essas informações proveitosas para o seu desenvolvimento humano.  De acordo com o texto hoje hà duas vertentes que comandam a formação ética das novas gerações. A injunção do ter e do poder. Porém mediante as nossas responsabilidades de educadores é necessário que tenhamos posturas significativas na afirmação de nossos educandos fazendo com que eles sejam cidadãos voltados para a vida em sua essência, que tenham prazer de viver pelo que é possível ser e não pelo que é possivel ter.
2 - Contribuiu para fazermos uma reflexão sobre a nossa prática pedagógica. Pois contextualizando o texto indicado, podemos perceber que nós educadores somos responsáveis diretos pela moldura que damos à massa que recebemos, que são os nossos alunos. Mediante as nossas ações e interferências podemos contribuir muito na formação da personalidade de nossas crianças. Sabemos que o papel da mãe, do pai e do professor, tem fundamental importância no sucesso ou no fracasso dos adultos de amanhã.
3 - Sim. É possível proporcionarmos aos nossos educandos e a nós mesmos, por meio de nossas práticas pedagógicas o desenvolvimento desta virtude. Pois através da motivação e da perseverança podemos desenvolver o nosso potencial e o dos nossos alunos. Mostrando que é possível superar limites e barreiras na busca de alcançar com sucesso os nossos objetivos.
14/07/2006 18:52
De: Odete da Silva Bezerra e Neuza Marques da Costa
IP: 200.140.127.166

Avaliação

1. Em meio a tanta verdade e informação, educar, atualmente não se restringe apenas ao conhecimento, mas deve considerar a bagagem de conhecimento que possui cada educando. Assim, com as buscas, informações, e aproveitando conhecimentos prévios realizamos uma educação eficaz e consciente.
2 - Na prática pedagógica o professor exerce um papel importante no desenvolvimento da criança. Como referncial, deve refletir de maneira positiva na formação sociocultural do seu aluno, assim como no meio onde esta inserido.
3 - Enquanto professor, devemos ser facilitador da aprendizagem enfrentando desafios, proporcionando possibilidades de ação para que o aluno desabroche num saber sistematizado, buscando inovações e se construindo como agente ativo da historia, com ética e responsabilidade. (Segunda versão)
08/06/2009 17:25
De: Rê (re@hotmail.com)
IP: 189.38.3.126

Raposas

Oi gente eu queria saber um pouco mais sobre o comportamento da raposa vermelha,doencas q a ataca e q cuidados devemos ter com esse animal
               Obrigada
08/12/2006 15:21
De: Ellen Sandra dos Reis e Maria Aparecida dos Santos (ellen.sandra@yahoo.com.br)
IP: 200.103.30.121

Avaliação - Texto: EU E O OUTRO

1. A educação, dentro uma visão holística, estabelece uma estreita relação entre a aquisição de conhecimentos historicamente acumulados pela humanidade e conhecimentos prévios dos alunos, sendo estas, vertentes fundamentais  para a formação do caráter. As relações interpessoais no processo ensino-aprendizagem envolvem a afetividade e nos remetem à uma nova perspectiva: educar é respeitar opiniões, valorizar o individual, trocando experiências que favoreçam o bem da coletividade.
2. A leitura do texto de Leminski nos dá uma valiosa contribuição quanto aos aspectos que devem ser considerados essenciais para o desenvolvimento de um ser que está em constante formação e que necessariamente  precisa de limites: o aluno. Limites estes que, momentaneamente, provocam frustrações no educando porém, futuramente, permitirão a superação de falhas e contribuirão decisivamente para uma melhor convivência em seu meio. Outro ponto a ser considerado, diz respeito à distorção da função social da educação que algumas pessoas e/ou órgãos fazem defendendo a tese de que "educar é proteger excessivamente o aluno", situação esta que acarreta prejuízos para a própria formação do indivíduo que precisa ter confiança em seu processo de crescimento e transformação, acreditando em seu potencial.
3. Podemos afirmar que sim, visto que a resiliência deve ser uma prática de todo educador que dispõe de interesse, boa vontade e amor na realização de atividades que promovam a formação plena dos alunos como um todo mas, principalmente daqueles  tidos como "problema" que necessitam de maiores cuidados para que adquiram referenciais que serão o sustentáculo de sua formação integral quanto aos valores morais já adquiridos  como também à agregação de novos outros. Tudo isso nos remete à afirmação de que precisamos promover a cultura de valorização das diversidades, visando o desenvolvimento das potencialidades de nossos alunos em uma relação fundamentada no respeito e confiança mútuos.
Seu IP: 18.205.176.85 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)