Este fórum destina-se aos pais e membros do colegiado da EMPMMC debaterem o tema Bullying na escola tomando por base o artigo da revista Veja BH, edição de 1º de outubro de 2014, de autoria do Dr. Gustavo Teixeira.

Tags: escola bullying
16/11/2014 20:48
De: Débora Margot de Barros (debmargot@hotmail.com)
IP: 179.179.222.63

Esclarecimento sobre o que vem a ser bullying

Boa noite!
Embora este tema tenha chegado recentemente a mídia, ainda é um assunto desconhecido pela maior parte da população. Bullying é uma palavra inglesa, não traduzida no Brasil, que se refere a comportamentos agressivos entre crianças ou adolescentes. Embora seja utilizado mais comumente referido ao ambiente escolar, também pode ser aplicado a outros ambientes frequentados por crianças e jovens, dentre eles os Grupos Escoteiros, clubes, igrejas e até mesmo na vizinhança de suas casas. Podemos definir assim: “Bullying é toda ação intencional e repetitiva feita com a intenção de machucar uma ou mais pessoas. É uma violência física ou psicológica, praticada por um indivíduo ou grupo contra outro indivíduo ou grupo que não é capaz de se defender por si só”. Nesta definição percebemos conceitos importantes associados ao Bullying:
a) Intenção: o bullying pressupõe a vontade de fazer mal a outra pessoa. O agressor pode não se dar conta de que está fazendo um ato cruel, mas age com a intenção de machucar outra pessoa;
b) Repetição: simplesmente implicar com um colega que tropeçou e caiu no chão não caracteriza bullying. O bullying é caracterizado pela ação repetitiva, ou seja, acontece várias vezes tendo como alvo a mesma pessoa;
c) O indivíduo não é capaz de se defender por si só: quando o personagem Cebolinha implica com a Mônica, ela não está sofrendo bullying. Ela possui condições de defesa e, ainda que incomodada, o faz muito bem, haja visto as coelhadas que ela inflige no implicante do Cebolinha. Quando a pessoa não consegue se defender, seja fisicamente ou intelectualmente, aí sim podemos caracterizar o bullying.
A caracterização do bullying ainda implica no fato de ocorrer entre pares, ou seja, indivíduos do mesmo grupo. Assim, um professor  que sistematicamente implique com um jovem por qualquer motivo, não estará praticando bullying, mas sim assédio moral. Da mesma forma um adulto que bata em uma criança, não pratica bullying, mas abuso físico. As consequências provocadas pelo bullying podem ser as mais diversas, de acordo com características de cada indivíduo, com o tipo de agressão, intensidade e frequência. Podemos encontrar entre as vítimas: dificuldade de socialização, síndrome do pânico, anorexia, bulimia, depressão, ansiedade, gagueira além de doenças físicas causadas por estresse, como gastrite e cefaléia, até homicídios e suicídios em casos mais graves.  Algumas vítimas podem necessitar acompanhamento psicológico para superarem os problemas.
Referência:
Bullying o que todos devem saber
Altamiro Vilhena   set /2012
Cabe a equipe pedagógica observar e repassar os fatos para a família que irá buscar parceiros para o tratamento junto a saúde quando infelizmente ocorrer.
Direcionar um trabalho de solidariedade ao jovem para que encontre um ambiente adequado para superar suas dificuldades.
A TODOS (adultos,jovens ,crianças ) cabem o respeito às diferenças individuais,a solidariedade e principalmente buscar refletir,sensibilizar ,formar sobre os valores humanos e direitos universais.Isto acontece em pequenos atos como cumprimentar e respeitar todos os funcionários da escola,o padeiro,o motorista,usar as palavras mágicas,aprender a ouvir a todos independente de sua condição de gênero,social,cultural,.., respeitar os diferentes pontos de vista.
Abraços
22/10/2014 08:24
De: Márcio Camilo (mrcamilo40@gmail.com)
IP: 191.247.231.156

Bullying

Bom dia. Com certeza temos o
dever de conversar bastante
com is nossos filhos sobre
esta prática perversa que já
existe há anos, porém com
outros nomes. Precisamos
acompanhar junto à escola,
observar mudanças de
comportamento e orientar e
sobretudo orarmos bastante
para Deus guarde nossos
filhos
Obrigado.
21/10/2014 16:03
De: francisca rodrigues silveira
IP: 200.151.193.66

Bullying

Nós pais temos que ter atitudes bem claras em relação ao Bullying dentro de casa, conversando, aconselhando,esclarecendo aos nossos filhos sobre esse tipo de prática para que eles não sofram e nem levem outra criança a sofrer pois é uma questão séria e que deve ser tratada com  a importãncia merecida.
21/10/2014 21:40
De: Rodrigo Crenak (crenak@gmail.com)
IP: 189.12.179.192

Bullying

Obrigado pela participação, Francisca.
Concordo que se faz necessária uma conversa em casa sobre o assunto.
O papel da família é muito importante, tanto no sentido de orientar nossos filhos sobre o assunto, quanto observar o comportamento deles objetivando uma possível identificação precoce de um comportamento agressivo.
As regras de convivência social devem ser respeitadas e, como pais, temos a obrigação de orientar nossos filhos.
28/10/2014 22:55
De: Rodrigo Crenak
IP: 189.59.151.114

Bullying

Obrigado por sua participação no debate, Márcio.
Tem uma frase popular que diz: "Não basta ser pai, tem que participar".
A verdadeira participação na educação de nossos filhos envolve muitas tarefas e custa um bom tempo de nossas preciosas horas diárias. Resumindo, dá trabalho. Acontece que não tem como ser diferente, não é mesmo Márcio?
Portanto, concordo com você. Precisamos acompanhá-los em todos os momentos, tanto em casa quanto na escola. Não podemos esquecer da educação religiosa, que você cita em sua mensagem e que realmente é importante para lapidar a educação de nossas crianças. A educação é para o corpo e para a alma.
Abraços.
Seu IP: 34.226.234.20 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)