Havay & Xandal nova-fábrica de chinelos Localizada na cidade de Paulistas-MG, está agora com uma grande promoção. Preocupado com o desemprego n´s da Xandal resolvemos passar as sandálias a preço de custo para que for bordar as sandálias para revender. [DEIXE UMA MENSAGEM COM TELEFONE OU EMAIL QUE ENTRAREMOS EM CONTATO. PASSANDO ORÇAMENTO<>Pedido:departamentodevendashavayxandal@hotmail.com

Tags: maquinas fabrica chinelos
25/09/2010 22:05
De: Rosemary de Sousa Rocha
IP: 201.80.12.59

Compra chinelos

Boa noite,
Gostaria de adquirir chinelos, qual a quantidae mínima que posso e como efetuar o pagamento.
Estou em BH/MG.
Atenciosamente,
Rose
23/08/2010 16:40
De: Interessante
IP: 189.110.102.228

Forrado de pano?

Aproveite os dias quentes e relaxe com esse chinelinho. É superfácil de fazer! Se quiser, você pode montar um par para cada ocasião. É só variar o tecido.
O QUE PRECISA
• 1 par de chinelos de borracha • Tesoura • Fita métrica • Cola de sapateiro • Termolina leitosa • Caneta fantasma ou giz para tecido • 1 pincel chato (para a cola de sapateiro) • 1 pincel fininho (para passar a termolina) • Tecido de algodão estampado para forrar os chinelos
Coloque o chinelo sobre o tecido e, com a caneta ou o giz, contorne-o. Corte o tecido e faça os furinhos nos locais indicados.
No molde, marque também a localização do início e do fim das tiras para, só depois, fazer os furinhos no tecido. Passe termolina leitosa, com o pincel menor, nas pontas do tecido, para impedir que desfie. Espere secar completamente.
Retire as tiras dos chinelos. Passe cola de sapateiro com o pincel chato e vá colando o tecido, começando pelo lado do calcanhar. Com a fita menor, vá enrolando uma das tiras de tecido no encaixe dos dedos. Passe cola somente nas pontas iniciais e finais, para que o tecido não fique marcado. Aperte bem para que o tecido não se solte facilmente.
Corte duas tiras de tecido, uma medindo 90 cm x 3 cm e outra de 17 cm x 3 cm. Para ajudar, use a fita métrica. Da mesma maneira, enrole a fita maior de baixo para cima e cole no final, com a cola de sapateiro.
FOTOS MÁRIO LEITE AGRADECIMENTO DANIELA DE OLIVEIRA MELO, PROFESSORA DO CURSO DE CUSTOMIZAÇÃO DA ESCOLA DE MODA SIGBOL FASHION.
Fonte: Revista Atrevida
01/08/2010 13:48
De: Danieele
IP: 187.34.227.135

Mapa da mina

Certo dia ja cançada de andar a procura de emprego, deparei com uma revista de chinelos. Comprei e fui em busca das pedraria até que consegui encontar.Tinha um chinelo que antes havia ganhado porem era um pouco exarerado no tamanho foi ele minha primeira vítima. Comprei quase tudo que estava na revista e fiz meu primeiro chinelo bordado. Achei fácil e recomendo.. Ah parei de procurar emprego, sem qualificação estava muito difícil... Agora saio vendendo minha criação, pois não copio mais eu crio novas modalidade. O segredo é encontrar fábrica que vende chinelos baratos pra que possamos ter uma margem de lucro.
11/08/2010 19:17
De: Adriane santos dumba
IP: 201.80.102.224

Re: Re: Passo a Passo - Chinelos Customizados

Ei querida!!! Por favor gostaria te uma informaçao,tambem faço chinelos customizados com quardanapos e tecidos,acontece que com os de  tecidos ainda tenho duvidas,uso a cola de contado brascoplast,na hora te colar o tecido,depois te seco o chinelo fica cheio de bolinha,uso termolina leitosa e mesmo assim alguns tao esse tipo de problema,o que esta errado?grata!! bjs.
14/11/2009 11:21
De: Departamento de promoção
IP: 189.26.119.21

Passo a Passo - Chinelos Customizados


Customização de chinelos com tiras de amarrar- Onçinha
Lista de Materias
1 par de solado de chinelo branco
1kit de base circular para chinelos We Care About -  ref . 852
2 Contas pretas We Care About - ref. 853
6 Argolas pretas We Care About - ref. 855
2 Tiras de tecido com 1,5 m de comprimento e 7cm de largura
3 m de cordão encerado preto 100% poliéster
Materiais auxiliares
Tesoura
Régua
Isqueiro
Passo  a Passo
Cortar um pedaço de 60 cm de cordão e dobrá-lo em 4.
Dar um laço  em uma das argolas.
Passar as quatro pontas do cordão pela conta preta.
Depois, passá-las por um dos canos transparentes. Após, passar pelo buraco frontal do solado do chinelo, da parte de cima para baixo.
Passar uma das bases circulares para chinelos, por  duas pontas do cordão e dar um nó cego.
Cortar os excessos.Arrematar,queimando cuidadosamente as pontas do nó ,com isqueiro.
Cortar um pedaço de cordão de 30cm e dobrar ao meio.
Passá-lo dobrado, por uma das bases circulares do chinelo.Dar um nó,tomando  cuidado para que o comprimento do fio dobrado,de ponta a  ponta, fique com aproximadamente, 4 cm.
Cortar as pontas excedentes e arrematar,queimando cuidadosamente com o isqueiro.
Com auxílio de um outro fio qualquer, passar os cordões por um dos buracos posteriores do solado do chinelo, da parte de baixo para cima.
A alça formada dará um laço em uma das argolas pretas.
Repetir os passos n°6 ao n° 10, para o outro buraco posterior.
Repetir os passos n°1 ao n°11, para o outro pé do chinelo.
10/11/2009 08:06
De: Departamento de vendas
IP: 201.47.110.69

Re: Chinelos de pneu

Olá luisa helena
Nós vamos ampliar o quadro de funcionário o mais rápido possível para atender a demanda. Os pedidos relacionado a chinelos de pneus estão chegando a todo momento. Mais não vamos deixa-la de atende-la. assim que possível entraremos em contato e obrigado pela preferência.Ja estamos providenciandos novas máquinas de corte de pneu. ate em breve
24/10/2009 08:06
De: Autor: Da Redação
IP: 189.26.119.21

Chinelos de pneu fazem sucesso no Espaço Mercoarte

Quarta-feira, 14 de Outubro de 2009
Um calçado que não sua os pés e ainda é seguro
"A necessidade nunca fez bons negócios." A frase é do pensador e inventor norteamericano Benjamin Franklin que, por sorte, não inspirou o artesão Vilson Martins Dias, expositor no Espaço Mercoarte, da Efapi. Ele tem 37 anos e até os 28 trabalhou como agricultor. Nos pés, sempre os tradicionais chinelos de dedo, inadequados para a lida no campo por serem pouco resistentes e muito escorregadios. Pronto! Estava aí a necessidade, criar um calçado que não suasse os pés e ainda fosse seguro, só faltava a solução para o problema.
“Um dia fui dar uma volta e fiquei indignado quando encontrei pneus no rio próximo da propriedade. Ao mesmo tempo fui provocado a dar algum tipo de aproveitamento para aqueles pneus. Fui para casa e tirei a lateral de cada um, feita de uma borracha mais maleável e bem parelha. Dei uma forma parecida com os chinelos que estava usando, furei a ponta e coloquei umas cordas como tira”, lembra o “inventor”.
Ele morava na área rural do município de Riqueza, distante 100 quilômetros de Chapecó, e saiu para o campo com a sua criação nos pés. Logo um vizinho viu e pediu uma igual. Depois outro, mais outro, e no final da primeira semana Dias já tinha trocado oito chinelos com solado de pneu por meia bolsa de milho cada um (30 quilos do grão). Aí começava a negação da frase de Benjamin Franklin, já que a necessidade levou a bons negócios.
Aos poucos o agricultor foi aprimorando sua produção. As tiras passaram a ser feitas com o “protetor de colarinho”, uma borracha que fica entre a câmara de ar e o pneu, e as unidades começaram a ter variedade de números, com a forma feita com faca, uma por uma, à mão. Vinte pares foram colocados à venda no mercadinho da comunidade e outros 80, levados para um mercado maior, no centro de Riqueza. “Em pouco tempo tudo foi vendido e o pessoal começou a pedir mais. Como lá era difícil de conseguir a borracha e o negócio estava prosperando, me mudei para Chapecó.” Hoje, Vilson e sua esposa, Andrea Dias, produzem 50 unidades por dia do chinelo. O dinheiro das vendas é a única renda do casal, que não tem do que reclamar. Eles trouxeram 280 pares para a Efapi e em quatro dias já venderam mais da metade do estoque.
Dias calcula que desde o início de seu trabalho com chinelos já retirou 10 mil pneus da natureza. Já com a ajuda de uma máquina para o corte da sola, de cada unidade ele produz oito pares, em vários tamanhos. A única peça que não é artesanal é o pino de borracha injetada que prende as tiras à sola. Com essa inovação, cada chinelo chega a durar três anos.
O maior orgulho do artesão, além de poder sustentar a família com a fabricação desses chinelos, é saber que contribui para a preservação do meio ambiente. Após retirar as partes que utiliza, ele encaminha a borracha restante para ser vendida a uma usina de asfalto e a fábrica de cimento. “Nada fica por aí, na natureza. As pessoas estão longe da consciência ecológica e jogam em qualquer lugar o que não presta mais para elas. Isso é um crime!”
A preocupação ambiental também foi a motivação do agricultor Sadi Memlak, de 50 anos, para comprar um par dos chinelos de pneu. “É um chinelo ecológico e muito resistente. Vim de Planalto Alegre torcendo para encontrar desse chinelo aqui e já tratei de comprar.” Os chinelos artesanais de pneus, cujo preço varia de R$ 8,00 a R$ 10,00, já estão sendo vendidos em mais de 40 cidades do Grande Oeste catarinense.
Fonte: FloripaNews, publicada em: 14/10/2009
10/11/2009 07:53
De: Departamento de vendas
IP: 201.47.110.69

Re: Preço dos chinelos

Os chinelos para serem bordados está saindo por R$4,90 o par,[incluindo o frete], este valor você pode passar para lojas A R$10,00 depende da região, podendo ter um lucro de até 100%. lembrando que está sendo distribuido em várias lojas, chinelos pronto para serem bordados sendo  assim não será incluso o valor do frete.Obrigado
Seu IP: 54.242.241.200 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)