Aqui NÃO tem médico respondendo as perguntas. Fórum criado para troca de informações sobre a cirurgia de redução do estômago e para os que já fizeram a cirurgia e queiram responder as perguntas, enviar informações úteis, deixar depoimentos e compartilhar experiências. Aqui NÃO tem médico respondendo as perguntas. Atenção: A finalidade do Fórum é apenas ajudar as pessoas com informações.

Tags: obesidade estomago gastroplastia bariatrica imc reducao
26/05/2009 13:46
De: MARA
IP: 189.122.70.85

Re: Problemas psicológicos após cirurgia de redução de estômago.

Oi Carlota,
Problemas psicológicos são o lado B das cirurgias de redução de estômago, que podem afetar até 20% dos operados. Essas questões, associadas à imagem corporal, podem ser revertidas com terapia e acompanhamento nutricional.
Um estudo da Unifesp, SP, mostra que em cerca de 20% dos pacientes que se submeteram à cirurgia bariátrica emergiram problemas psicológicos. O pior desses dados, segundo os especialistas, é que os casos tendem a se agravar à medida que o paciente não leva adiante o tratamento com uma equipe multidisciplinar, no pós-cirúrgico.
A obesidade é uma doença crônica e deve ser tratada a vida inteira. Não é porque o paciente fez a redução de estômago que o problema acabou. Todo o processo de adaptação ao emagrecimento rápido e ao novo corpo deve ser acompanhado de perto por vários motivos, entre eles para a adaptação à nova imagem corporal.
Essa preocupação é grande porque não são poucas as pessoas ansiosas, deprimidas e compulsivas que, se não acompanhadas com atenção, tendem a desenvolver outros transtornos. Os problemas mais comuns são bulimia ou anorexia, compulsão por compras, drogas ou sexo, alcoolismo e, no limite, até tentativas de suicídio.
O medo de voltar a engordar é tão grande que certas pacientes podem desenvolver esses transtornos. Outro tipo de paciente são os que não conseguem viver com tamanha privação alimentar. Não acham mais graça na vida, mesmo tendo a consciência de que essa era a única alternativa para ter saúde, e, então, caem em depressão.
É bom lembrar que o cirurgião opera o corpo, mas não a cabeça, e alguns pacientes não conseguem suportar tantas mudanças.
Outro problema muito comum é a anemia, pois o ferro consumido no alimento acaba não sendo absorvido o suficiente e a anemia provoca esses sintomas que você citou (falta de ânimo).
Por isso, a alimentação tem que ser orientada por nutricionistas e suplementada com um polivitamínico para sempre.
Mas você e seu amigo podem ficar tranquilos, pois é possível reverter os casos de quem apresenta esses transtornos, com acompanhamento de um psicologo ou psiquiatra e uma nutricionista.
Existe tratamento para todos os casos mas a pessoa tem que  procurar ajuda!
Mantenha contato, ta!
Atenciosamente,
Mara
31/05/2011 23:14
De: caroline (carolaine.neder@hotmail.com)
IP: 187.127.66.164

Cirurgia

OLA PESSOAL EU ESTOU COM O IMC DE 35 PRESSAO ALTA E TENTANDO FAZER A CIRURGIA DE REDUCAO O TO COM MEDO DA UNIMED NAO AUTORIZAR POR O IMC TA NO LIMITE !!!!E O MEDICO ME POIS UM TANTO DE MEDO DE EMAGRECER MUITO DE TER ALGUM PROBLEMA DEPOIS VC SABEM ALGUMA COISA A RESPEITO????????MEU MSN E CAROLAINE.NEDER@HOTMAIL.COM                                     GOSTARIA MUITO DE TROCAR IDEIAS
27/11/2011 20:06
De: clau (claubarbozaflores@hotrmail.com)
IP: 189.26.12.167

Cirurgia de estomago

Ola tenho 25 anos 1,65 de altura 87,900 kg , tenho hipotiroidismo e gostaria de saber se consigo fazer a reduçao de estomago particular ou por convenio, obrigada!
21/08/2009 12:59
De: suely
IP: 201.50.7.113

Re: Cirurgia de Redução de estômago - Obesidade - Gastroplastia - Bariátrica


O meu IMC é de 37,7, nunca fui gorda, sempre tive um corpo bem legal, depois que tive filho aos 33 anos, engordei 30 quilos e de lá para cá, tem sido uma luta perder peso, principalmente pq fiquei desempregada e n consigo arrumar um outro emprego. Estou muito ansiosa. Não sou diabética e nem hipertensa,m ás a minha mãe era. Tenho 1,70 e estou com 108 quilos. Vcs me vendo, vão dizer que não preciso, pois sou alta. Mas a minha dú
dúvida é, será que vou conseguir  perder peso ao longo dos anos?Eu acho a cirurgia muito agressiva, é uma mutilação e se perde todos os nutrientes que o nosso corpo precisa. Estou bem informada,pois pesquiso muito e converso com os próprios médicos, más mesmo assim estou em dúvida. Gostaria de ouvir mais relatos. Acho que algumas pessoas que fazem essa cirurgia, se apegam muito na estética, só que para mim a saúde e as concequências vem em primeiro lugar.
Obrigada e aguardo relatos.
30/09/2010 21:23
De: Liceli
IP: 187.13.38.249

GASTROPLASTIA JURÍDICA


Gostaria de me informar sobre a carencia da Unimed, tenho 52 anos 63,4 de IMC peso 169,800, altura 1,63m, fiz tudo que tinha que fazer para operar, estou com todos os exames prontos, todos os laudos e o pedido do médico para internação e aí veio a notícia de que meu plano não tinha passado a carencia, que na realidade acaba em maio de 2011, me proponho até a deixar CHEQUES ATÉ A DATA LIMITE PARA GARANTIR. o QUE FAZER POR  FAVOR, SOU DIABÉTICA, HIPERTENSA, PROBLEMA DE CIRCULAÇÃO E NÃO AGUENTO MAIS A OBESIDADE ME AJUDEM.
27/03/2015 00:24
De: Karina
IP: 177.180.159.18

Balão intragástrico

Que alívio! Tirei o balão (12 dias após a colocação)! A impressão que eu tinha é de um alien parasita dentro da minha barriga sugando a minha vitalidade. Atacou minhas costas, estômago, pulmão...um pesadelo! Pra quem tem um IMC mais baixo, não acho que vale a pena...Eu entrei nessa paranóia e acabei gastando dinheiro a toa e quase perdendo meu emprego. Acho que os médicos deviam tratar esse procedimento com mais seriedade e preparar melhor seu pacientes, mas atualmente só enxergam dinheiro, esquecendo do principal: ética. Ninguém me avisou que eu ia ficar debilitada a ponto de não conseguir exercer minhas atividades diárias. Quem pode se dar ao luxo de ficar assim por 6 meses???
NUNCA mais! Morro gordinhas, mas nunca mais!
11/05/2015 14:27
De: Vanessa
IP: 187.74.242.23

Plano da Amil

Olá,
Sou advogada e tenho acompanhado casos de muitos clientes que necessitam realizar a cirurgia do estômago antes mesmo de terem cumprido o período de carência.
Nessas situações, caso o paciente possua relatórios médicos que informem a necessidade do procedimento, é possível que uma medida judicial conhecida como "liminar" autorize em até 48h a cobertura do procedimento pelo plano, sendo desnecessário aguardar o período de carência.
Espero ter ajudado e fico à disposição.
vanessasalemeid@ig.com.br
Seu IP: 54.80.81.26 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)