VENDA DE PNEUS IMPORTADOS DA KOREA MARCA HANKOOK COLOQUE NO SEU CARRO O MELHOR PNEU DO MUNDO PELO MENOR PREÇO "ATENÇÃO NÃO ACOMPANHA RODA" SOMENTE O MELHOR PNEU DO MUNDO TEMOS TODOS OS AROS PARA QUALQUER TIPO DE CARROS NACIONAIS E IMPORTADOS COMPRE JÁ SEM SAIR DE CASA DEPÓSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE APARTIR DE R$ 950.00 NOVECENTOS E CINQÜENTA REAIS MAIS FRETE PREÇO UNICO PARA QUALQUER CIDADE R$ 100.00 CEM REAIS FICANDO O PREÇO TOTAL R$ 1050.00 HUM MIL E CINQÜENTA REAIS POR PNEU BANCO SANTANDER AGÊNCIA 0119 CONTA CORRENTE 01065783 DIGITO 3 E POR GENTILEZA INFORME O SEU ENDEREÇO PARA A ENTREGA INCLUSIVE O CEP O MELHOR PNEU ALTA CAPACIDADE DE DIREÇÃO EM SUPERFICIES SECAS E MOLHADAS COMPETITIVO COM ALGUNS DOS MELHORES PNEUS DO MUNDO DE VERÃO UHP. DUAS 2 VEZES MAIS PERFORMANCE DE INVERNO DE PNEUS DE VERÃO UHP TIPICOS DESING AVANÇADO DE ULTIMA GERAÇÃO INDICE DE VELOCIDADE V/W SÉRIES Vantagens - Baixa resistência à rolagem e baixa geração de calor - Alta resistência à derrapagem lateral, bom controle e segurança - Menor vibração e boa dirigibilidade Desvantagens - Tração e Frenagem relativamente menores - Sulcos são sensíveis à fadiga - Vias pavimentadas, altas velocidades - Principalmente veículos de passeio e utilitários leves Vantagens - Boa dirigibilidade, tração, frenagem - Bom para vias não pavimentadas Desvantagens - Resistência á rolagem relativamente maior (menor economia de combustível) - Ruído relativamente maior - Resistência á derrapagem lateral relativamente menor Vantagens - Boa dirigibilidade e segurança pela integração dos padrões com sulcos e tacos - Bom para veículos que circulam em vias pavimentadas e não pavimentadas Desvantagens - Maior desgaste nos tacos - Desgaste nas ranhuras - Menor tração e frenagem que o anterior Vantagens - Boa tração, frenagem - Bom controle e segurança na neve e lama Desvantagens - Desgaste maior que os anteriores - Maior resistência à rolagem Vantagens - Área de contato uniforme - Boa conservação e frenagem - Não requer rodízio de pneus Desvantagens - Pouco utilizados - Pouca compatibilidade com demais tamanhos - Vias pavimentadas, altas velocidades - Principalmente veículos de passeio e utilitários leves - Vias pavimentadas e não pavimentadas - Caminhões, ônibus, utilitários leves. - Maioria dos veículos industriais e de construção civil. - Vias pavimentadas e não pavimentadas - Caminhões, ônibus - Pneu para neve - Veículos de serviço em praias - Veículos de passageiros (altas velocidades) - Alguns tipos de caminhões O pneu com cabos no talão, inventado por C.K. Welch em 1891, marca uma importante evolução na história. No mesmo ano, os irmãos Michelin patentearam pneus que podiam ser montados e desmontados manualmente. Em 1904, a Firestone e Goodyear desenvolveram pneus com cabos em lados retos e quase todos os fabricantes norte-americanos seguiam suas técnicas de produção em 1908. Enquanto isso, em 1913, a Inglaterra desenvolveu a estrutura radial, que rompia com o método diagonal em vigor. O método radial só ganhou corpo cerca de 35 anos depois, em 1948, quando foi adotado pela Michelin. Até antão, o tecido interno do pneu era feito com uma malha de cordões grossos de algodão. Devido aos altos preços, o tecido de seda, muito mais resistente, não era aplicável à fabricação de pneus. Em 1928, a norte-americana Dupont criou a teoria básica das reações sintéticas, levando a um rápido desenvolvimento nos anos 1930. Antes de 1948, a malha de rayon já havia superado a malha de algodão, muito suscetível ao calor e tomado conta de 75% do mercado. Em 1948 foi inventado o tecido de nylon que competiu com o rayon até 1959. O nylon acabou vencendo a guerra de preços em 1960 e começou a dominar o mercado. A malha de poliéster surgiu em 1962. Em 1970, as malhas de aço assumiram a liderança e varreram os mercados americano e europeu nos anos 1980. Em 1972, a Dupont inventou uma fibra de poliamida chamada Kevlar, cinco vezes mais forte do que o aço com boa estabilidade dimensional, mas tão cara que seu uso era limitado a um mercado restrito. O desenvolvimento de tecnologia de materiais e técnicas de fabricação de pneus, juntamente com a evolução da performance dos automóveis criaram o cenário para um direcionamento das atenções para o desempenho dinâmico dos pneus. Particularmente, para acompanhar o desenvolvimento dos carros e vias, pneus também foram projetados para oferecer maior velocidade, controle e segurança. Novos pneus econômicos de alta performance continuam sendo desenvolvidos. Da mesma forma que os carros, os pneus também tem apresentado impressionante evolução em design e velocidades máximas. Banda de rodagem (parte do pneu que entra em contato direto com a via) Exceto por alguns pneus especiais, existem várias características comuns para a banda de rodagem dos pneus. Essas características vêm se tornando mais complicadas conforme as aplicações se tornam mais variadas pelo desenvolvimento das vias e dos veículos. Ombro A parte do pneu que fica entre a banda de rodagem e o flanco, a borracha do ombro é a mais espessa e o design se preocupa com a dissipação do calor gerado pela rodagem. Flanco É a parte do pneu que fica entre o ombro e o talão. É flexível, protege a carcaça e proporciona suavidade à direção. As características do pneu (tipo, dimensões, estrutura, padrão, fabricante, produto etc.) são indicadas aqui. Talão (parte do pneu que entra em contato com a roda) O talão conecta o pneu à roda e envolve o final da lona. Formado pelo cabeamento do talão, miolo e outras partes, o talão é projetado para ser levemente apertado em torno da roda, garantindo que, no caso de uma súbita queda de pressão, o pneu não caia da roda. Carcaça (estrutura do pneu) A parte mais importante da estrutura do pneu, a estrutura de lonas interna é chamada de carcaça. Ela suporta a pressão do ar, as cargas verticais e absorve os impactos. Lonas (camadas entre a banda e a carcaça) As lonas são colocadas ente a carcaça e a banda de rodagem para proteger a carcaça de um pneu diagonal. As lonas reduzem impactos, evitam que cortes e danos na banda atinjam a carcaça diretamente e ao mesmo tempo evitam que a borracha da banda e a carcaça se separem. As lonas de topo são um importante reforço colocado entre a banda e a carcaça de pneus radiais ou diagonais. Funcionam como as demais lonas, mas também proporcionam rigidez ao se envolverem completamente à carcaça. Camada Interna A parte interna do pneu é uma camada de borracha que resiste à pressão do ar e substitui a câmara de ar. Geralmente feita de uma borracha sintética chamada butil, ou de uma borracha de poli-isopreno, a camada interna mantém o ar dentro do pneu. COMPRE JÁ SEM SAIR DE CASA DEPÓSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE APARTIR DE R$ 950.00 NOVECENTOS E CINQÜENTA REAIS MAIS FRETE PREÇO UNICO PARA QUALQUER CIDADE R$ 100.00 CEM REAIS FICANDO O PREÇO TOTAL R$ 1050.00 HUM MIL E CINQÜENTA REAIS POR PNEU TEMOS TODOS OS TAMANHOS DE PNEUS AROS BASTA INFORMA E FAZER O DEPÓSITO E ENVIAR UM E-MAIL PARA dbeznos@hotmail.com COM ENDEREÇO DE ENTREGA INCLUSIVE O CEP ("NÃO ACOMPANHA RODA")

Tags: de venda da importados pneus marca correa
Ainda não existem mensagens neste fórum.
Escreva a primeira mensagem preenchendo abaixo:
Seu IP: 50.19.34.255 (os IP's são armazenados por questões de segurança)
Seu nome:
Seu e-mail:
Assunto:
Mensagem:
  Não quero que meu e-mail apareça na mensagem (apenas o nome)